Projetos de Pesquisa

Conheça os projetos de pesquisa do Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva:

 


A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E AS POLÍTICAS NACIONAIS DE SAÚDE: A PERSPECTIVA DE SEUS PROFISSIONAIS E USUÁRIOS

Descrição


A Atenção primária dos Sistemas Nacionais de Saude (SNS), desde a sua enunciação pela Organização Mundial da Saúde em 1978 (OMS, 1978). Os progressos científicos da medicina, e a melhoria das condições de vida das populações vem alterando a estrutura demográfica da sociedade de vários países ocidentais. Contudo, a essa mudanca de paradigma demográfico e epidemiológico não tem correspondido, de imediato, uma alteração dos sistemas de saúde, que se mantém hospitalocêntricos, hierarquizados e fragmentados. Diante de tal quadro, a OMS reforçou, em 2008, a necessidade dos sistemas de saúde se centrarem na APS, que deveria funcionar como centro de comunicação das redes de cuidados, diminuindo a descontinuidade e a fragmentação da assistencia saúde. O Brasil tem vivido inegável expansão da rede de cuidados de saúde primários, acelerada após a instituição do Programa de Saúde da Família (1994) e da Política Nacional de Atenção básica, em 2006. Metodologia: Já se tem bastante conhecimento sobre a diferença entre as expectativas postas na atençao básica e sua efetiva realizaçao. Tal diferença, ainda pouco problematizada, o foco principal de interesse da presente investigação, que tem como objetivo principal compreender porque a ABS, apesar de todos os investimentos, não consegue alcançar condições materiais e simbólicas para funcionar com a centralidade posta para a ela no sistema de saúde, contribuindo para a viabilização de uma alternativa ao atual modelo de saúde. Para tanto será desenvolvida metodologia qualitativa, do tipo estudo de casos múltiplos, para produzir um conhecimento empírico mais aprofundado sobre ABS, a partir da perspectiva de seus atores principais, quais sejam, os gestores, os profissionais de saúde e os usuários. Assumindo que os atores também teorizam, produzem teoria sobre seus cotidianos, centralmente explicações sobre o mundo em que vivem e atuam, não sendo objetos passivos. Financiador(es): Ministério da Saúde - Auxílio financeiro E FAPESP (2 editais PPSUS).


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




ABORDAGENS SOCIOCULTURAIS EM SAÚDE

Descrição


Este projeto de pesquisa tem por escopo abordar aspectos socioculturais da saúde, seja como processo ou fenômeno, relacionando-os às concepções subjacentes aos diferenciados grupos sociais ou de sociedades. As práticas de diagnóstico, tratamento e cura constituem realizações humanas e configuram diferentes formas de organizações sociais que expressam desde sistemas tradicionais de atenção à saúde, moldados em distintas culturas e diferentes processos históricos, assim como de sistemas oficiais configurados em contextos de Estados nacionais que configuram estruturas ampliadas de assistência à saúde, com uso de tecnologias materiais e imateriais. Diversidade e desigualdade constituem conceitos fundamentais neste projeto, posto que o acesso aos conhecimentos e práticas em saúde emergem em contextos sociais nem sempre favoráveis ao desenvolvimento de processos equitativos em sua distribuição.


Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de Vida.




ARRANJOS TECNOLÓGICOS DE GESTÃO DO CUIDADO EM HOSPITAL DE PRONTO SOCORRO

Descrição


Os serviços hospitalares de emergência (SHE) são os pontos de atenção dos Sistemas de Saúde onde se manifestam mais comumente fenômenos de demanda excessiva, como a superlotação, e as queixas relativas à qualidade do cuidado em saúde, marcadas pelas mais variadas dimensões do sofrimento humano. Os SHE acolhem a repressão de demanda gerada em outros pontos de atenção do sistema de saúde, resultando em grande insatisfação dos usuários, seja pelo tempo de espera para atendimento, seja, pela indisponibilidade de leitos hospitalares para internações, acarretando na permanência de um grande número de pacientes, por longos períodos, em macas nos corredores. Uma das consequências dessas situações é expressivo aumento dos índices de adoecimento das equipes de trabalho da emergência em função de ambientes e processos de trabalho estressores. Neste cenário, a experimentação de novos arranjos tecnológicos para o cuidado adquire grande importância, seja ao aperfeiçoar a capacidade de acolher e de identificar riscos das pessoas que buscam cuidados hospitalares, melhorando o modo como se dá a entrada do paciente no hospital, seja 'gerando saídas' dos SEH mais articuladas com outros pontos de atenção da rede, condição fundamental para se garantir a continuidade do cuidado. Dois arranjos tecnológicos têm sido utilizados visando melhorar os fluxos no hospital: a 'Classificação de Risco-Manchester' e o 'Kanban'. O primeiro é uma metodologia que confere classificação de risco para os pacientes que buscam atendimento em uma unidade de pronto atendimento, dispondo de 52 entradas, que se entende por fluxos ou algoritmos para a classificação da gravidade, avaliação esta codificada em cores. Os fluxogramas estão agrupados de forma a identificar sinais, sintomas ou síndromes e cada cor de classificação determina um tempo máximo para o atendimento ao paciente. O 'Kanban' é um dispositivo para gestão de leitos que combina práticas de gestão de prioridades clínicas e ferramentas visuais que permitem a qualificação da coordenação do cuidado e a priorização e o aperfeiçoamento da tomada de decisão clínica e do uso do recurso leito. Propõe-se, ao conformar o trabalho da equipe multiprofissional a ampliar a responsabilidade dos sujeitos implicados no cuidado e produzir respostas operacionais. Sua ação tem sido potencializada pela institucionalização da horizontalidade do cuidado médico como aposta para aprimorar a decisão clínica e a coordenação do cuidado, assim como a implantação de visitas multidisciplinares (atividade rotineira das equipes de alto desempenho, com vistas a produzir melhor decisão clínica e a propor recursos necessários para o cuidado, incentivando a sinergia entre os múltiplos saberes), a implantação de protocolos clínicos hospitalares, que guiam a decisão clínica e as melhores práticas para o cuidado seguro e efetivo baseando-se em evidência científica. O estudo tem como objetivos analisar os processos de coordenação e gestão do cuidado em um Hospital de Pronto Socorro a partir da caracterização dos arranjos tecnológicos utilizados para gestão do cuidado, que visam superar a fragmentação e a descontinuidade da assistência à saúde, em particular estudando a Classificação de Risco-Manchester e o Kanban e, ainda, analisar os arranjos tecnológicos na perspectiva dos usuários do Hospital de Pronto Socorro (e/ou de seus familiares), caracterizando sua vivência, os impactos na sua saúde e como avaliam o cuidado disponibilizado durante a admissão, a internação e após a alta hospitalar. Metodologia: Estudo qualitativo, tipo estudo de caso, que fará uso de múltiplas técnicas para a produção dos dados: 1. Análise documental/revisão sistemática; 2. Entrevista coletiva com dirigentes do SHE; 3. Observação participante do cotidiano das equipes 7 que operam o Sistema de Classificação de Risco e o Kanban; 4. Observação participante na sala de espera para atendimento; 5. Coleta de histórias de vida de usuários dos dois arranjos. O estudo envolverá os atores institucionais em todas as fases da pesquisa, prevendo encontros regulares (seminários compartilhados) com as equipes que operam os dispositivos no correr do processo. Será desenvolvido por pesquisadores da Escola Paulista de Medicina/Unifesp, do Instituto Universitário de Lisboa, instituição parceira já consolidados de estudo anteriores, além de pesquisadores vinculados à Secretaria Municipal de Saúde de São Bernardo do Campo e ao SHE. São previstos seminários quinzenais para discussão e análise dos trabalhos de campo.


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




CULTURA DE USO DE DROGAS, ESTRATÉGIAS DE USUÁRIOS PARA MANEJAR OS EFEITOS E CONSEQUÊNCIAS PARA A SAÚDE PÚBLICA

Descrição


Além das consequências próprias da droga, os usuários podem agravar, ou mesmo amenizar, os efeitos do consumo pela forma que as utilizam. Desenvolvem estratégias para contrapor os efeitos desagradáveis da droga, ou mesmo, para aumentar a intensidade ou prolongar os efeitos considerados agradáveis por eles. Em resumo, o rito que desenvolvem para utilizar determinadas drogas podem originar implicações físicas, psíquicas e sociais ao usuário. O problema central quando se refere a tratamento de usuário de crack são as altas taxas de recaída ao uso da droga após períodos de abstinência. Embora tratamentos para abuso de drogas freqüentemente produzam uma diminuição da gravidade dos problemas psicossociais ligados ao consumo dessas substâncias, uma porcentagem significativa de usuários reiniciam o abuso da droga de escolha num prazo relativamente curto após o tratamento. Consumidores de crack parecem ser particularmente propensos à recaída. São associados vários fatores a essas recaídas como: sentimentos negativos, auto-piedade, fissura, idealização do prazer provocado pelo crack, problemas de relacionamento, desejo de controlar o consumo, pistas externas e outros. Mas esses achados não respondem a questão do por que alguns indivíduos não recaem ou permanecem mais tempo abstinentes. Os objetivos do projeto são: 1) entender e levantar através do próprio usuário os motivos que os levam a recaídas 2) identificar quais os fatores predisponentes ao usuário, ao tratamento e à dependência que interferem nessas recaídas. 3) identificar possíveis suportes (terapêutico, social, mútua-ajuda) que podem ser fundamentais para que esses usuários, mantenham-se abstinentes. A pesquisa visa fundamentalmente: contribuir para o entendimento das razões de recaídas, tanto aquelas referidas pelos próprios usuários, como também aquelas inerentes ao tratamento, dependência e características do usuário de crack, com o propósito de interferir nesses eventos de forma mais efetiva, visando a redução do número de retornos desses pacientes aos centros de tratamentos e consequentemente otimizando o atendimento público (SUS) disponível. Com financiamento do CNPq 1. Entender e levantar através do próprio usuário os motivos que os levam a recaídas; 2. Identificar quais os fatores predisponentes ao usuário, ao tratamento e à dependência que interferem nessas recaídas; 3. Identificar possíveis suportes (terapêutico, social, mútua-ajuda) que podem ser fundamentais para que esses usuários mantenham-se abstinentes.


Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de Vida.




EFEITOS DE INTERVENÇÕES BASEADAS EM MINDFULNESS (ATENÇÃO PLENA) EM INDICADORES DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE POPULAÇÕES CLÍNICAS E NÃO CLÍNICAS NO BRASIL

Descrição


Estudar as intervenções psicossociais baseadas em "mindfulness" ("atenção plena" - modelos MBSR - MBCT - MBHP - similares) enquanto intervenções complexas e inovadoras voltadas à promoção da saúde, qualidade de vida, e ao manejo de condições crônicas, com foco na implementação dessas intervenções em sistemas de saúde (em especial, na Atenção Primária à Saúde) e na sociedade em geral (educação e organizações). Para atingir os objetivos serão utilizados múltiplos métodos de execução das intervenções (presencial - online - blended) e de análise de dados (quantitativos e qualitativos - incluindo dados estruturados e não-estruturados, e análises de Big Data). Palavras-chave: Mindfulness; Intervenções Complexas; Big Data; Promoção da Saúde; Educação; Organizações. Avaliar os efeitos de programas de intervenção baseado em mindfulness em indicadores de saúde, estresse fisiológico e psicológico, e de qualidade de vida, em profissionais de saúde, populações sadias, universitários e portadores de patologias específicas no Estado de São Paulo. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




EPIDEMIOLOGIA DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS: OCORRÊNCIA, CAUSAS E PREVENÇÃO

Descrição


As doenças crônicas não transmissíveis (DNCT) são as principais causas de morte no Brasil e no mundo. Doenças cardiovasculares são responsáveis pela maioria das mortes por DCNT, seguida por câncer, doenças respiratórias e diabetes. Tabagismo, consumo de álcool, inatividade física, alimentação não saudável e excesso de peso e obesidade estão entre os principais fatores de risco associados às DCNT. Este projeto de pesquisa visa (1) descrever a frequência e a distribuição das principais DCNT e seus determinantes; (2) identificar a causas e o potencial de prevenção das DCNT em populações. Para tanto, utilizamos bases de dados secundárias, como inquéritos (PNS, VIGITEL, PeNSE e POF) e sistemas de informação (SIM, SIA, SIH), estudos epidemiológicos nacionais e internacionais (SP-PROSO, Nurse’s Health Study, Health Professionals Follow-up Study) e revisões sistemáticas da literatura. Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) - Processo: 442658/2019-2. Valor total: R$ 147.046,00


Linha de Pesquisa

Longevidade, Condições Crônicas e Qualidade de vida.




EPIDOSO: COORTE URBANA DE IDOSOS

Descrição


Na nova coorte EPIDOSO II, poderemos medir a incidência da perda funcional com o instrumento, e compara-la com a perda medida com os instrumentos clássicos aplicados na linha de base. A questão maior que se coloca, é o reconhecimento de fatores de risco evitáveis para perda funcional e a efetividade de ações de promoção da saúde na prevenção da perda funcional. Efetividade que muitas vezes envolve mudanças hábitos e comportamentos, algo reconhecidamente complicado. Afora a determinação da incidência de perda funcional e fatores associados, o projeto EPIDOSO II tem como objetivo avaliar intervenções de promoção de saúde visando a preservação e recuperação da capacidade funcional dos idosos e a inclusão social dos idosos. Nesta fase do projeto, serão desenvolvidos estudos de intervenção com grupos específicos de idosos e com a comunidade em geral, com potencial de mudanças geo-políticas e sociais no bairro do projeto (Vila Clementino, São Paulo).


Linha de Pesquisa

Longevidade, Condições Crônicas e Qualidade de vida.




HUMANIDADES, NARRATIVAS E HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE

Descrição


Partindo dos resultados e desdobramentos de projetos de pesquisa anteriores financiados pela FAPESP e outras instituições, esta proposta pretende desenvolver estudos que avancem e ampliem a compreensão da temática da humanização em saúde, investigando o papel que pode desempenhar as humanidades e, particularmente, as narrativas neste processo formativo e de vivência profissional. Neste sentido, procurando confluir linhas de pesquisa que já vinham sendo desenvolvidas paralelamente, este projeto propõe a realização de um trabalho em duas grandes frentes: 1) Teórico-conceitual: visando, através de abordagens histórico-filosóficas, o aprofundamento e esclarecimento dos conceitos centrais neste projeto: Humanidades, Narrativas e Humanização; 2)Empírico-experimental: visando, através de abordagens metodológicas qualitativas, fundamentadas em narrativas e observação participante, compreender de que forma e em que medida, no âmbito das humanidades, as diversas formas de narrativa (Literatura, História, Histórias de Vida, Artes, Cinema, etc.) podem contribuir para a humanização em saúde, seja no âmbito formativo, seja no âmbito da prática e da pesquisa.


Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de vida.




MORBIMORTALIDADE E ASPECTOS NUTRICIONAIS DE POPULAÇÕES

Descrição


Dados oriundos dos sistemas nacionais de informação em saúde (SIM, SINAN, SINASC), de coortes de nascimento e de populações específicas atendidas no sistema de saúde oferecem contribuições teóricas para o estudo de indicadores de morbimortalidade, com ênfase em fatores associados decorrentes de aspectos nutricionais. Complementarmente, efeito da implantação de hortas comunitária estão sendo avaliados.


Linha de Pesquisa

Longevidade, Condições Crônicas e Qualidade de vida.




POLÍTICAS DE SAÚDE E A GESTÃO DO SUS, DAS REDES DE ATENÇÃO, DOS SERVIÇOS E DOS ARRANJOS TECNOLÓGICOS DE CUIDADO

Descrição


Trata-se de projeto de ampla dimensão que lida com dados primários oriundos de pesquisas qualitativas e quantitativas em diferentes municípios visando responder a desafios da implementação e conformação dos modos de produção do cuidado das Redes de Atenção à Saúde, visando informar políticas públicas. Procura, ainda, identificar analisadores da produção macro e micropolítica presentes no processo de pactuação e caracterizar as transformações ocorridas em diferentes cenários e seu impacto na gestão do SUS.


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E A OUTROS COMPORTAMENTOS DE RISCO ENTRE ADOLESCENTES: AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS E IDENTIFICAÇÃO DE FATORES DE RISCO

Descrição


Nos últimos anos, pesquisadores e gestores têm se atentado mais ao papel do consumo de álcool e outras drogas durante a adolescência, visto que este foi identificado claramente como um Marcador para a carga global de doenças em adultos. Neste sentido, os esforços para a prevenção do consumo de drogas na adolescência deveriam partir de estudos epidemiológicos que permitam o entendimento amplo da iniciação, progressão e trajetórias na instalação de padrões nocivos de consumo, consequentemente oferecendo subsídios para a elaboração de programas efetivos. Este projeto engloba três subprojetos no campo da epidemiologia de drogas e saúde mental, sendo eles: 1) Avaliação de programas de prevenção em escolas; 2) Abuso de álcool e outras drogas nas baladas: epidemiologia, etnografia e intervenção; 3) Urbanicidade, trauma na Infância e psicopatologia na adolescência. O subprojeto de avaliação de programas escolares visa avaliar o processo de implantação e efetividade dos programas escolares de prevenção Unplugged e Good Behavior Game (que se tornaram Tamojunto e Elos, no Brasil) em escolas de diversas cidades brasileiras, no âmbito do Programa Saúde na Escola, em parceria com o Ministério da Saúde e financiamento da Coordenadoria de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas (CGMAD-MS) e da UNODC (United Nations Office for Drugs and Crimes). O subprojeto que envolve o uso de drogas em baladas utiliza inquérito de portal para quantificar o consumo de álcool e drogas de frequentadores das baladas, na entrada e saída do evento, além de episódios de violência e comportamentos de risco, pós-balada. Dados etnográficos sobre as condições ambientais destes locais, somados aos dados de entrevistas semiestruturadas entre os frequentadores permitirão conhecimento aprofundado do fenômeno. Além disso, uma intervenção digital para redução do abuso de álcool nesta população está sendo testada. Por fim, o subprojeto de urbanicidade e saúde mental decorre de uma parceria internacional com o Departamento de Epidemiologia da Columbia University e visa avaliar em uma coorte as mudanças na comorbidade dos principais transtornos/sintomas psiquiátricos durante a transição da infância para a adolescência, com ênfase na iniciação ao uso de drogas. Financiamentos recebidos até o momento para cada um dos três subprojetos: Subprojeto 1) ATIVOS: Ministério da Saúde (TED 89-2014); Valor concedido: R$ 682.866,40; Vigência: 10/11/2014 a 17/03/2019; Ministério da Saúde (TED 178-2017); Valor concedido: R$ 1.377.900,00; Vigência: 31/12/2017 a 30/12/2019; ENCERRADOS: United Nations Office for Drugs and Crimes (UNODC) - Número do processo- Carta Acordo 007- 2013. Valor concedido: R$ 299.040,00; Vigência: 21/08/2013 - 16/10/2014; Auxílio à pesquisa CNPq - Número do processo: 472991/2012-4; Valor concedido: R$ 42.000,00; Vigência: 11/11/2012 a 11/11/2015. Subprojeto 2): FAPESP - Número do processo: 2011/51658-0; Valor concedido: R$ 215.037,50 para uso no projeto + R$ 302.000,00 em bolsas de estudo para alunos; Vigência: 20/06/2012 a 20/12/2016; Auxílio à Pesquisa CNPq - Número do processo: 483385/2011-5; Valor concedido: R$ 47.500,00; Vigência: 14/12/2011 a 14/12/2013. Subprojeto 3) Agência financiadora: Columbia University President's Global Innovation Fund - Valor concedido (Brasil): US$ 81.168,50 (~R$ 324.674,00); Vigência: 01/01/2014 a 31/12/2017.


Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de Vida.




PREVENÇÃO DO DECLÍNIO COGNITIVO EM IDOSOS ATENDIDOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE

Descrição


Avaliar a efetividade da estimulação cognitiva de idosos por meio de oficinas de informática, games e desenvolvimento de jogos virtuais pelos idosos, com ou sem comprometimento cognitivo leve, que são acompanhados pelo estudo de coorte EPIDOSO - Epidemiologia do Envelhecimento, na UNIFESP.


Linha de Pesquisa

Longevidade, Condições Crônicas e Qualidade de vida.




PROCESSO E GESTÃO DO TRABALHO EM DIFERENTES CONFIGURAÇÕES ORGANIZACIONAIS

Descrição


Trata-se de projeto que visa descrever e analisar o trabalho, suas condições e organização e repercussões para a saúde e para a qualidade do trabalho em diversos contextos tais como: serviços públicos de saúde; empresas públicas e empresas privadas.


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




PROCESSOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS E SAÚDE COLETIVA

Descrição


Os fluxos migratórios internacionais constituem mudanças sociopolíticas e econômicas com repercussões globais e locais, constantemente acionadas e aprofundadas sob o domínio do processo da globalização. Estudos recentes evidenciam o incremento de iniquidades como consequência das desigualdades e modos de vida e de trabalho precários; a ascensão de doenças infecciosas, como a tuberculose; a transposição, pelas fronteiras, de doenças endêmicas, como a doença de Chagas; a saúde mental, quase sempre negligenciada nestes processos, ou, mesmo, as barreiras no acesso aos cuidados de saúde, para listar alguns dos problemas já identificados. Neste sentido, as investigações têm evidenciado que, de maneira geral, os imigrantes mobilizam os serviços de saúde com suas concepções e práticas sobre o processo saúde-doença-cuidados, tornando cada vez mais complexo o campo de inter-relações que emerge a partir do encontro de concepções e práticas vivenciadas no contexto de destino migratório. A produção de estudos sobre os processos migratórios internacionais em suas interfaces com a saúde tem se destacado pelo crescimento e, também, pelo desenvolvimento de análises que requerem cada vez mais conhecimentos articulados de forma interdisciplinar na abordagem dos processos migratórios. Este projeto pretende expor e debater o campo de estudos sobre processos migratórios internacionais e saúde enfatizando algumas abordagens teóricas nas ciências sociais em suas interfaces com o campo interdisciplinar da saúde coletiva, trabalho e condições de vida e saúde de imigrantes e refugiados, políticas de saúde e aspectos teórico-metodológicos nas investigações sobre a saúde dos imigrantes e refugiados.

Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de Vida.




PROMOÇÃO DA SAÚDE E PRÁTICAS INTEGRATIVAS COMPLEMENTARES

Descrição


O objetivo deste projeto é avaliar a influência das Práticas Integrativas e Complementares na promoção da saúde. Para isso, norteia-se pelas seguintes perguntas de pesquisa: Qual a oferta de Práticas Integrativas e Complementares?; Na visão dos profissionais e gestores que desafios enfrentam ao ofertar essas práticas?; Qual o perfil dos profissionais de saúde que ofertam essas práticas?; Qual a demanda em relação à essas práticas?; Qual o perfil sócio demográfico e problemas de saúde dos usuários que demandam essas práticas?; Quais os recursos de saúde utilizados na oferta dessa práticas?; Método: Survey e Estudo de Caso. População do Estudo: estudantes, usuários, profissionais de saúde, gestores. Local do Estudo: Município de São Paulo - SP. Coleta de dados: questionários, documentação, observação direta, questionários, entrevistas, roteiros de observação dos serviços, procedimentos, atendimentos e comportamentos. A análise de dados será por meio de triangulação de dados qualitativos e quantitativos para identificar a influência das Práticas Integrativas e Complementares na Promoção da saúde.


Linha de Pesquisa

Gestão do Trabalho e do Cuidado e(m) Saúde.




SAÚDE DO ESCOLAR: ASPECTOS NUTRICIONAIS, COMPORTAMENTO SEXUAL E SAÚDE MENTAL DE ADOLESCENTES

Descrição


O presente projeto de pesquisa visa identificar fatores associados a comportamentos de risco de adolescentes em escolas públicas da cidade de São Paulo, com ênfase em avaliação do estado nutricional, sintomas de transtorno mental e comportamento sexual, com ênfase em violência sexual. O projeto é composto de avaliações realizadas por entrevistadores a partir de medidas antropométricas e consumo alimentar dos estudantes. Além disso, instrumentos de autopreenchimento serão utilizados para identificar aspectos comportamentais e emocionais, presença de depressão, utilização de drogas, abuso sexual, uso de internet e aplicativo móvel e sua associação com a qualidade de vida destes estudantes. Entre alunos de ensino médio será incluída avaliação de comportamento sexual de risco e sua associação com sintomas de transtorno mental e consumo de substâncias. Em uma subamostra de ensino fundamental será desenvolvido e avaliado um protocolo de educação alimentar e nutricional para estudantes, pais, professores, manipuladores de alimentos, comunidade residente no bairro, profissionais de saúde e agentes comunitários de saúde da Estratégia Saúde da Família, incluindo a implantação de hortas pedagógicas orgânicas para escola e para a comunidade. Este projeto recebeu 2 financiamentos: 1- Columbia University President's Global Innovation Fund (Columbia Global Centers) 2- Cnpq - 443203/2016-4.


Linha de Pesquisa

Saúde, Sociedade e Modos de Vida.


 

 

 

 

© 2013 - 2020. Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Campus São Paulo - Rua Botucatu, 740 - 4º andar - sala 404 - Vila Clementino, São Paulo - SP - ppg.saudecoletiva@unifesp.br