Escola Paulista de Medicina
Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva 

 

 

Disciplina: A CONSTRUÇÃO DO CAMPO DA SAÚDE COLETIVA (2º SEMESTRE DE 2019)

  • Nome/título
    A CONSTRUÇÃO DO CAMPO DA SAÚDE COLETIVA (2º SEMESTRE DE 2019)
  • Responsável
    Ademar Arthur Chioro dos Reis
  • Corpo Docente
    Prof. Dr. Luiz Carlos de Oliveira Cecílio
    Profa. Dra. Rosemarie Andreazza
    Prof. Dr. Francisco Antonio de Castro Lacaz
    Prof. Dr. Richard Miskolci
    Prof. Dr. Pedro Paulo Gomes Pereira
    Prof. Dr. Luiz Roberto Ramos
    Prof. Dra. Carla Luppi


  • E-mail para contato
    arthur.chioro@unifesp.br
  • Início - inscrição
    2019-07-04
  • Término - inscrição
    2019-08-02
  • Início - curso
    2019-08-08
  • Término - curso
    2019-12-05
  • Local
    auditorios (a definir)
  • Dias e Horários
    quinta-feira - 8 as 12 hs e das 14 as 18 hs
  • Vagas/ Número máximo de alunos
    30
  • Carga horária - Teórica
    120
  • Carga horária - Prática
    0
  • Carga Horária Total
    120
  • Creditos
    8
  • Critérios de ingresso
    Serão aceitos prioritariamente alunos regularmente matriculados. Alunos especiais só serão aceitos se houver disponibilidade de vagas.
  • Ementa
    Objetivo geral:
    O objetivo principal da disciplina é caracterizar a Saúde Coletiva como campo de saberes e práticas, ao apresentar e discutir sua construção histórica, seus principais dilemas e desafios.

    Objetivos específicos:
    a) Identificar e discutir os fundamentos gerais do método epidemiológico, sua perspectiva histórica e seus principais usos, bem, como as contribuições da Epidemiologia para o campo da Saúde Coletiva;
    b) Discutir a contribuição das Ciências Sociais e Humanas para o campo da Saúde Coletiva;
    c) Discutir a contribuição da área de Política, Planejamento e Gestão em Saúde para o campo da Saúde Coletiva;
    d) Problematizar a construção do SUS como política de saúde, discutindo fundamentos da gestão do cuidado, do trabalho e da formação em saúde para a o campo da Saúde Coletiva.
    e) Apresentar os elementos presentes no debate contemporâneo das três áreas - Epidemiologia, Ciências Sociais e Humanas em Saúde, e Política, Planejamento e Gestão em Saúde, e refletir sobre os avanços e pontos de impasses para o campo da Saúde Coletiva.
  • Avaliação de aprendizagem
    a) A nota final dos alunos será conferida a partir da média da nota atribuída às avaliações somativa e formativa;
    ⎯ Somativa: trabalho individual, a partir de um dos temas que compõe a ementa do curso, de livre escolha de cada aluno, que deverá ser entregue até 20/12;
    ⎯ Formativa: interesse e participação nas atividades em classe e leitura dos textos indicados.
    b) Os alunos também farão avaliação da disciplina e dos docentes, por meio de instrumento específico, sem obrigatoriedade de identificação;
    c) A frequência mínima exigida será a de 75% das atividades programadas.
  • Conteúdo Programático
    Apresentação da disciplina - A Construção do Campo da Saúde Coletiva
    O que é Saúde Coletiva?
    A complexidade do campo da Saúde Coletiva
    A saúde pública e o nascimento da medicina social. O nascimento da clínica.
    Fundamentos para uma sociologia da saúde: Marx, Durkheim e Weber. A trajetória das Ciências Sociais em Saúde no Brasil.
    Fundamentos em Epidemiologia: definições, perspectiva histórica e método
    Por uma epidemiologia da Saúde Coletiva. (ou Contribuição da Epidemiologia para o campo da Saúde Coletiva)
    Clássicos da Saúde Coletiva brasileira
    Determinação Social do Processo Saúde Doença: o papel do trabalho e ambiente. Aspectos conceituais, programáticos e históricos. 
    Saúde como direito. Fundamentos da Reforma Sanitária. Princípios, limites e desafios do SUS.
    Múltiplas abordagens sobre o planejamento, a gestão, a regulação e o cuidado em saúde

    Obs: o conteúdo poderá ser modificado até o início das atividades. As mudanças serão efetuadas no site e informadas aos alunos inscritos.

  • Referências
    1. Almeida Filho N, Barreto ML (Org.). Epidemiologia e saúde: fundamentos, métodos e aplicações. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan; 2011.
    2. Almeida-Filho N, Paim JS. Conceitos de Saúde: atualização do debate teórico-metodológico. In: Saúde Coletiva – Teoria e Prática. Rio de Janeiro: MedBook, 2014. (p.13-27)
    3. Almeida-Filho N, Paim JS. Saúde Coletiva como campo de saberes e práticas: abordagens e perspectivas. In: Saúde Coletiva – Teoria e Prática. Rio de Janeiro: MedBook, 2014. (p.41-45)
    4. Arouca, S. O dilema preventivista: contribuição para a compreensão e crítica da Medicina Preventiva. São Paulo: Unesp/Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. (também disponível em: https://teses.icict.fiocruz.br/pdf/aroucaass.pdf)
    5. Ayres JRCM. Desenvolvimento histórico-epistemológico da epidemiologia e do conceito de risco. Cad. Saúde Pública. 2011; 27: 1301-1311.
    6. Barreto ML. The globalization of epidemiology: critical thoughts from Latin America. Int J Epidemiol. 2004; 33:1132-1137.
    7. Barreto, M.L. A epidemiologia, sua história e crises: notas para pensar o futuro. In: COSTA, Dina Czerina (Org.) Epidemiologia-teoria e objeto. São Paulo: Hucitec-Abrasco, 1990. pp. 19-38
    8. Barreto, M.L. Por uma epidemiologia da Saúde Coletiva. Ver. Bras. Epidemiol. Vol.1 , no.2 São Paulo Aug.1998.
    9. Buck C. Popper’s philosophy for epidemiologists. Int J Epidemiol. 1975; 4: 159-168.
    10. Cecilio LCO. et al. O agir leigo e o cuidado em saúde: a produção de mapas de cuidado. Cad. Saúde Publica 30 (7): 1502-1514, 2014.
    11. Donnangelo MC, Pereira, L. Saúde e Sociedade. Sào Paulo: Livraria Duas Cidades, 1976.
    12. Forattini, Oswaldo Paulo. Epidemiologias, ou epidemiologia?. Rev Saúde Pública [online]. 1990, vol.24, n.1.
    13. Gonçalves, RBM. Tecnologia e organização social das práticas de saúde. São Paulo”Hucitec./Abrasco., 1994.
    14. Luz, M. T. Complexidade do campo da Saúde Coletiva: multidisciplinaridade, interdisciplinaridade, e transdisciplinaridade de saberes e práticas - análise sóciohistórica de uma trajetória paradigmática. Saude Soc. vol.18 no.2 São Paulo Apr./June 2009.
    15. Morris JN. Uses of epidemiology. Int J Epidemiol. 2007; 36: 1165-1172.
    16. Paim JS.; Almeida-Filho N. Saúde Coletiva: campo científico e âmbito de práticas. N: ____________. A crise da saúde pública e a utopia da saúde coletiva. Salvador: Casa da Qualidade Editora, 2000. pp. 59-71.
    17. Paim, J.S. e Almeida Filho, N. Saúde Coletiva: uma “nova saúde pública” ou campo aberto a novos paradigmas? Rev. Saúde Pública vol.3
    •  

    © 2013 - 2021. Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

    Campus São Paulo - Rua Botucatu, 740 - 5º andar - sala 563 - Vila Clementino, São Paulo - SP - ppg.saudecoletiva@unifesp.br

    Please publish modules in offcanvas position.