Disciplina: SEMINÁRIOS METODOLÓGICOS E EPISTEMOLÓGICOS EM INVESTIGAÇÕES EM POLÍTICA PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE I (2O. SEMESTRE 2020)

  • Nome/título
    SEMINÁRIOS METODOLÓGICOS E EPISTEMOLÓGICOS EM INVESTIGAÇÕES EM POLÍTICA PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE I (2O. SEMESTRE 2020)
  • Responsável
    Rosemarie Andreazza
  • Corpo Docente
    Arthur Chioro – doutor
    Javier Amadeo – doutor
    Mariana Nasser - doutora
    Lumena Almeida Castro Furtado - doutora
  • E-mail para contato
    rbac48@gmail.com
  • Início - inscrição
    2020-06-27
  • Término - inscrição
    2020-08-14
  • Início - curso
    2020-08-27
  • Término - curso
    2020-11-26
  • Local
    Remoto via Plataforma Zoom
  • Dias e Horários
    4a. quinta-feiras do mês: 27/08, 24/09, 22/10 e 26/11 - das 8h às 13h e das 14 às 18h: 4 encontros presenciais com 9h cada. 18h preparação teórica - leitura da bibliografia 32h. preparação da apresentação- prática 10h
  • Vagas/ Número máximo de alunos
    25
  • Carga horária - Teórica
    42
  • Carga horária - Prática
    18
  • Carga Horária Total
    60
  • Creditos
    4
  • Critérios de ingresso
    alunos regularmente matriculados no PPGSC e em outros programas, além dos ouvintes
  • Ementa
    A disciplina tem como objetivos : I - Proporcionar um espaço para discussão coletiva dos projetos de pesquisa dos alunos da área de Política, Planejamento e Gestão em Saúde do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Unifesp, com a participação dos alunos, seus orientadores e demais professores da Área. II – Permitir maior aprofundamento teórico-metodológico de temas de interesse à área de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, demandados por alunos e/ou docentes orientadores do Programa. III- Discutir os percursos metodológicos de investigações desenvolvidas na área de PPGS. Serão desenvolvidos os seguintes temas: produção de conhecimento na área de política, planejamento e gestão em saúde; desenhos e arranjos metodológicos nas investigações micropolíticas em gestão do cuidado em saúde; pesquisa qualitativa em saúde; cartografia; produção de dados nas investigações no e para o SUS; análise de implicação; desenvolvimento e achados nas pesquisas da área de PPGS. Conteúdo Programático: No período da manhã, mensalmente, de um a dois alunos apresentarão os projetos de pesquisa (projeto inicial ou qualificação), ou trabalhos em fase de conclusão, desenvolvidos na área para discussão coletiva. A preparação das apresentações será feita com orientação dos professores, e serão consideradas atividades práticas presenciais. Contaremos com a presença dos orientadores dos alunos e dos demais orientadores do PPGSC (Área de PPG). O objetivo é a realização de debate-formativo para o aluno e seu orientador
  • Avaliação de aprendizagem
    Aulas expositivas
    Seminários
    Debate de projetos de pesquisa
    nos caso de atividades à distância, utilizaremos exercícios de leitura (entrega)
  • Conteúdo Programático
    •As aulas serão desenvolvidas a partir de temas teóricos e resultados de pesquisa que propicie a reflexão sobre a produção de conhecimento da área de política, planejamento e gestão em saúde.
    O aluno deverá apresentar o projeto, ou resultados parciais, em 30 minutos, seguido da discussão em 60 minutos. Na parte da tarde serão desenvolvidas rodas de conversa (discussões metodológicas e epistemológicas) com professores convidados, sob coordenação dos professores responsáveis pela disciplina, a partir da leitura prévia obrigatória dos artigos, livros recomendados
  • Referências
    Carapinheiro G, Correia T Novos temas de saúde. Novas questões sociais. Lisboa: Mundos Sociais; 2015.
    Cecilio LCO, Carapinheiro G, Andreazza R. Os mapas do cuidado: o agir leigo na saúde. São Paulo: Hucitec- Fapesp, 2014. p. 21-51. de saúde. Rio de Janeiro; ENSP, IMS, FAPERJ; 2011. p. 200-218
    Cecilio LCO A questão do duplo/tríplice estatuto nos estudos sobre gestão e organizações de saúde no Sistema Único de Saúde no Brasil. Lisboa, Forum Sociológico. 2014. 24, p. 113.
    Carapinheiro G. Inventar percursos, reinventar realidades: doentes, trajectórias sociais e realidades formais. Etnográfica. 2001; V(2):335-358.
    Mattos RA, Baptista TWF. Caminhos para a análise de políticas de saúde. Porto Alegre: Rede Unida, 2015. p. 29-81. MERHY E E; GOMES MPCG (org.) Pesquisadores IN-MUNDO: Um estudo da produção do acesso e barreira em saúde mental. Porto Alegre: Editora Rede Unida, 2014. p. 25-42.
    MERHY E E. Conhecer militante do sujeito implicado: o desafio de reconhece-lo como saber válido. In: FRANCO TF, ANSELMO P. (orgs). Acolher Chapecó. Uma experiência de mudança de modelo assistencial com base no processo de trabalho. São Paulo: Hucitec, 2004. P. 21-45
    Santos SB. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. Porto PT; Edições Afrontamento; 2006
    Passos E, Kastrup V, Tedesco S. Pistas do método da cartografia: a experiência da pesquisa e o plano comum – volume 2. Porto Alegre: Sulinas, 2014. P. 92-127.
    Pelbart PP. O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento. São Paulo: n-1 edições; 2013.
    Poupart J, Deslauries JP, Groulx AL, Mayer R, Pires A. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis; Editora Vozes; 2008. P. 43- 94.
    René Lourau: analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004. P. 67-86.
    •  

    © 2013 - 2020. Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

    Campus São Paulo - Rua Botucatu, 740 - 4º andar - sala 404 - Vila Clementino, São Paulo - SP - ppg.saudecoletiva@unifesp.br

    Please publish modules in offcanvas position.